Mal ancestral

Assunto de muitos filmes e séries de televisão (principalmente a recente Sobrenatural, transmitida pela emissora SBT), a figura maligna do demônio se faz presente em várioselementos culturais do momento. Saiba um pouco mais sobre a origem desse “ser”.

Desde os primórdios:

Quase todos os povos de hoje que ainda vivem isolados creem na interação entre nosso mundo e o dos espíritos. Para se protegerem de entidades más, recorem a xamãs, que podem ser considerados “exorcistas primitivos”. Por isso, antropólogos, acreditam que os primeiros humanos modernos também áa tinham essas crenças há milhares de anos.

Parteira diabólica:

Na Mesopotâmia, lar de povos como babilônios e assírios, há registros escritos com fórmulas para exorcismo com mais de 4 mil anos. Os demônios mesopotâmicos eram grandes causadores de problemas de saúde, como o demônio Lamashtu, que fazia partos darem errado, e Alú , que atacava as pessoas durante o sono.

Pérsas e Gregos:

As visões do judaísmo e cristianismo sobre o capeta tiveram forte influência da Pérsia e Grécia. A palavra “demônio” é grega e designava originalmente espíritos intermediários entre deuses e homens, que podiam ser bons ou maus. Já os persas desenvolveram uma luta cósmica entre um deus bom e sua contra parte ruim.

Especialidade Judaica :

Com o tempo, os exorcismos se tornaram tão importantes no judaísmo que, segundo alguns autores do século 1 d.c, como Flavio Josefo, os judeus passaram a ser considerados experts. Faziam até “demonstrações’ para o exorcismo romano. As técnicas envolviam queimar certas raízes de plantas, numa tradição supostamente criada pelo rei Salomão.

Oficializado:

Mesmo após a época de Jesus, o exorcismo se mantém como prática comum. Aos poucos a igreja foi conciliando suas regras. Em 363, o concílio de Laociceia exigiu que o exorcismo só atuasse com permissão de seus bispos. Por volta dos anos 500, foi publicada a primeira instrução oficial de como realizar o ritual no documentário ECCLESIAE LATINAE.

COM O DIABO NO CORPO: Aprenda a identificar os sintomas de algumas possessãos segundo o catolicismo.

TEU CORPO NÃO TE PERTECE:

A falta de cuidados com o próprio corpo é relatada com frequência entre os que estariam possuídos. A pessoa pode se arranhar, lacerar braços e pernas e mordê-los com muita força. Recusa-se a se alimentar ou comem menos que o normal.

VIRA O PESCOCINHO

Este gesto é familiar a quem já assistiu ao filme “O exorcista”. Ocorrem transformações na voz, assumem posturas antinaturais e contrações violentas.

DISPUTA ESPIRITUAL: conheça os principais passos de um exorcismo, redefinidos  pela igreja em 1999.

1}Antes de mais nada…será que um exorcismo é mesmo necessário?

Atualmente o discurso da igreja é DESCARTAR CASOS DE MERO PROBLEMA MENTAL OU FRAUDE.

Os padres devem procurar a ajuda de médicos e psicólogos simpáticos a fé católica. Nos EUA pede-se que o fiel a ser exorcidado assine um termo de consentimento.

2}Seu problema é realmente espiritual, o padre ainda deve solicitar outra autorização: a do bispo a que está subordinado. Essa é uma das primeiras regras definidas do RITUALE ROMANUM (ritual romano).

3}O sacerdote deve se vestir apropriadamente, usando a sobrepeliz( uma veste branca usada por cima da batina própriamante dita) e a estola roxa.

A cor simboliza penitencia e converção, só é utilizada naturalmente ao longo do ano durante a quaresma e os quatro domingos antes do natal.

4}A vítima pode ser amarrada, com o devido cuidado para não machucá-la. O exorcista começa o ritual abençoando-a primeiro com o sinal da cruz e depois com água benta. Ele também concede essa benção a si mesmo e a todos os outros presentes.

5) A primeira parte da cerimônia é dedicada a invocar os poderes do bem, concedidos a igreja por Deus, Jesus Cristo e os santos. Para isso, são realizados a chamada ladainha de todos os santos (em que os principais santos recebem o pedido “intercedei por nós”) e o salmo 53, que pede que Deus salve o fiel do inimigo maligno.

6) Aí sim, começa o exorcismo: o sacerdote manda que o diabo fale seu nome e deixe o nome da pessoa.

7) Nem sempre ele vai embora sem resistência. Cada caso é diferente, alguns soltam gritos assustadores, outros zombam da cara do exorcista, e outros o atacam.

Fonte: Revista Mundo Estranho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s